terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Goiânia, cidade verde, cidade jardim. Saudades!!!

 Bosque de Buritis - Centro de Goiânia




Parque da Vaca Brava e Parque das Rosas


Jardins de Goiânia:




 
 Campus Universitário:
Esculturas feitas pelos estudantes universitários







 Antiga estação de caminho-de-ferro e velho comboio (trem):




Vídeo "surripiado" do YouTube
video
















sábado, 25 de dezembro de 2010

Poema do Menino Jesus - Maria Bethânia


video

Poema do Menino Jesus - Alberto Caeiro (Fernando Pessoa)

 
Num meio-dia de fim de Primavera
Tive um sonho como uma fotografia.
Vi Jesus Cristo descer à terra.
Veio pela encosta de um monte
Tornado outra vez menino,
A correr e a rolar-se pela erva
E a arrancar flores para as deitar fora
E a rir de modo a ouvir-se de longe.
Tinha fugido do céu.
Era nosso demais para fingir
De segunda pessoa da Trindade.
No céu tudo era falso, tudo em desacordo
Com flores e árvores e pedras.
No céu tinha que estar sempre sério
E de vez em quando de se tornar outra vez homem
E subir para a cruz, e estar sempre a morrer
Com uma coroa toda à roda de espinhos
E os pés espetados por um prego com cabeça,
E até com um trapo à roda da cintura
Como os pretos nas ilustrações.
Nem sequer o deixavam ter pai e mãe
Como as outras crianças.
O seu pai era duas pessoas -
Um velho chamado José, que era carpinteiro,
E que não era pai dele;
E o outro pai era uma pomba estúpida,
A única pomba feia do mundo
Porque nem era do mundo nem era pomba.
E a sua mãe não tinha amado antes de o ter.
Não era mulher: era uma mala
Em que ele tinha vindo do céu.
E queriam que ele, que só nascera da mãe,
E que nunca tivera pai para amar com respeito,
Pregasse a bondade e a justiça!
Um dia que Deus estava a dormir
E o Espírito Santo andava a voar,
Ele foi à caixa dos milagres e roubou três.
Com o primeiro fez que ninguém soubesse que ele tinha fugido.
Com o segundo criou-se eternamente humano e menino.
Com o terceiro criou um Cristo eternamente na cruz
E deixou-o pregado na cruz que há no céu
E serve de modelo às outras.
Depois fugiu para o Sol
E desceu no primeiro raio que apanhou.
Hoje vive na minha aldeia comigo.
É uma criança bonita de riso e natural.
Limpa o nariz ao braço direito,
Chapinha nas poças de água,
Colhe as flores e gosta delas e esquece-as.
Atira pedras aos burros,
Rouba a fruta dos pomares
E foge a chorar e a gritar dos cães.
E, porque sabe que elas não gostam
E que toda a gente acha graça,
Corre atrás das raparigas
Que vão em ranchos pelas estradas
Com as bilhas às cabeças
E levanta-lhes as saias.
A mim ensinou-me tudo.
Ensinou-me a olhar para as coisas.
Aponta-me todas as coisas que há nas flores.
Mostra-me como as pedras são engraçadas
Quando a gente as tem na mão
E olha devagar para elas.
Diz-me muito mal de Deus.
Diz que ele é um velho estúpido e doente,
Sempre a escarrar para o chão
E a dizer indecências.
A Virgem Maria leva as tardes da eternidade a fazer meia.
E o Espírito Santo coça-se com o bico
E empoleira-se nas cadeiras e suja-as.
Tudo no céu é estúpido como a Igreja Católica.
Diz-me que Deus não percebe nada
Das coisas que criou -
"Se é que ele as criou, do que duvido." -
"Ele diz por exemplo, que os seres cantam a sua glória,
Mas os seres não cantam nada.
Se cantassem seriam cantores.
Os seres existem e mais nada,
E por isso se chamam seres."
E depois, cansado de dizer mal de Deus,
O Menino Jesus adormece nos meus braços
E eu levo-o ao colo para casa.

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

A indignação de José Sócrates...

Queria fazer uma trégua natalícia na crítica política. Mas ao ouvir o 1º ministro José Sócrates, indignando-se "contra aqueles que se aproveitam da pobreza para fins eleitorais", não suportei ficar calado. O ruído e o descaramento foi demasiado pesado...
Não morro de amores pelo Presidente Cavaco Silva. E não irei votar nele. Mas considero que Cavaco Silva faz bem em denunciar a pobreza que se vai alastrando por este país fora; faz bem em denunciar a fome e as privações de milhares de portugueses que a incompetência do governo de Sócrates privou de uma vida condigna. O que lamento, entre outras coisas, é que Cavaco Silva não tivesse tido, em tempo oportuno, a coragem de exonerar José Sócrates. Teria feito um grande serviço ao país. O que lamento é que Cavaco Silva vá aprovando leis que aumentam o desemprego, a miséria e a fome neste país. E que depois lave as mãos como Pilatos... O que lamento é que Cavaco Silva só se tenha "preocupado com a pobreza desde o início do seu mandato como presidente". Como se anteriormente nunca tivesse governado este país!!! Provavelmente porque Portugal não tinha pobres...Talvez porque estávamos no início de um banquete chamado BPN!!!

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Oswaldo Montenegro - A Lista

video

A Lista

Oswaldo Montenegro

Composição: Oswaldo Montenegro

Faça uma lista de grandes amigos
Quem você mais via há dez anos atrás
Quantos você ainda vê todo dia
Quantos você já não encontra mais...
Faça uma lista dos sonhos que tinha
Quantos você desistiu de sonhar!
Quantos amores jurados pra sempre
Quantos você conseguiu preservar...
Onde você ainda se reconhece
Na foto passada ou no espelho de agora?
Hoje é do jeito que achou que seria
Quantos amigos você jogou fora?
Quantos mistérios que você sondava
Quantos você conseguiu entender?
Quantos segredos que você guardava
Hoje são bobos ninguém quer saber?
Quantas mentiras você condenava?
Quantas você teve que cometer?
Quantos defeitos sanados com o tempo
Eram o melhor que havia em você?
Quantas canções que você não cantava
Hoje assobia pra sobreviver?
Quantas pessoas que você amava
Hoje acredita que amam você

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

WikiLeaks

Miguel Sousa Tavares (MST), sabemos, tem um ódio pela internet e pelos blogues. Alguns dos textos de MST até são corajosos. Mas quando se trata de internet e do FCP o fanatismo é extremamente visível. Ainda que em polos diferentes: ataca ferozmente a blogosfera e defende sem qualquer tipo de isenção ou clarividência o FCP.

Vem isto a propósito do texto que publicou esta semana no semanário "Expresso" onde tenta arrasar o WikiLeaks. Aliás no seguimento de outros colunistas dos vários jornais deste país. E, curiosamente, todos tentam desprezar ou diminuir a importância das notícias até agora publicadas. Só não entendo a razão porque, sendo essas informações tão sem importância, leve os meios de comunicação social a dar tanto relevo, existirem tantos desmentidos e...prenderem Assange acusado por duas suecas de violação. Dá para acreditar? Alguém de bom senso acreditará? E, uma delas parece que até tem um vínculo à...CIA!!! E até os motivos que alegam para fundamentar a acusação são ridículos.
Os Estados Unidos da América pode ser um país muito democrático. Mas tão só até ao ponto de...não ser incomodado.
Ler mais clique aqui

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Tempo de poesia...Adão e Eva de José Régio.



ADÃO e EVA, José Régio

Olhámo-nos um dia,
E cada um de nós sonhou que achara
O par que a alma e a cara lhe pedia.

- E cada um de nós sonhou que o achara...

E entre nós dois
Se deu, depois, o caso da maçã e da serpente,...
Se deu, e se dará continuamente:

Na palma da tua mão,
Me ofertaste, e eu mordi, o fruto do pecado.

- Meu nome é Adão...

E em que furor sagrado
Os nossos corpos nus e desejosos
Como serpentes brancas se enroscaram,
Tentando ser um só!

Ó beijos angustiados e raivosos
Que as nossas pobres bocas se atiraram
Sobre um leito de terra, cinza e pó!

Ó abraços que os braços apertaram,
Dedos que se misturaram!

Ó ânsia que sofreste, ó ânsia que sofri,
Sede que nada mata, ânsia sem fim!
- Tu de entrar em mim,
Eu de entrar em ti.

Assim toda te deste,
E assim todo me dei:

Sobre o teu longo corpo agonizante,
Meu inferno celeste,
Cem vezes morri, prostrado...
Cem vezes ressuscitei
Para uma dor mais vibrante
E um prazer mais torturado.

E enquanto as nossas bocas se esmagavam,
E as doces curvas do teu corpo se ajustavam
Às linhas fortes do meu,
Os nossos olhos muito perto, imensos,
No desespero desse abraço mudo,
Confessaram-se tudo!
... Enquanto nós pairávamos, suspensos
Entre a terra e o céu.

Assim as almas se entregaram,
Como os corpos se tinham entregado,
Assim duas metades se amoldaram
Ante as barbas, que tremeram,
Do velho Pai desprezado!

E assim Eva e Adão se conheceram:

Tu conheceste a força dos meus pulsos,
A miséria do meu ser,
Os recantos da minha humanidade,
A grandeza do meu amor cruel,
Os veios de oiro que o meu barro trouxe...

Eu, os teus nervos convulsos,
O teu poder,
A tua fragilidade
Os sinais da tua pele,
O gosto do teu sangue doce...

Depois...

Depois o quê, amor?
Depois, mais nada,
- Que Jeová não sabe perdoar!

O Arcanjo entre nós dois abrira a longa espada...

Continuamos a ser dois,
E nunca nos pudemos penetrar!

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Sinal mais ( + ) e Sinal menos ( - )

A NÍVEL LOCAL...

(+) - A autarquia de Loulé vai continuar a disponibilizar refeições aos alunos do 1º ciclo e ensino pré-escolar do concelho, durante as férias de Natal. A iniciativa destina-se aos alunos inseridos nos agregados familiares com menos recursos financeiros. Não é uma medida inédita no país mas fica o registo;

(+) - Dois mil cabazes de Natal serão entregues aos agregados familiares com menos recursos financeiros provenientes das onze freguesias do concelho de Loulé a partir de 14 de Dezembro;

(-) - Excesso de ruas de Loulé com parquímetros. Um abuso e um excesso de caça ao euro...

A NÍVEL NACIONAL...

(+) - Um restaurante de Braga, durante o mês de Dezembro, oferece a pessoas necessitadas um almoço constituído por sopa de legumes, pão e um copo de vinho. E não são discriminados pois tomam a respectiva refeição numa das salas do restaurante e numa mesa condigna;

(-) - A piada do ano: O chefe do Governo Regional dos Açores, Carlos César, acusa Cavaco Silva de dividir os portugueses por este criticar a opção do Governo dos Açores em criar um subsídio compensatório para os funcionários públicos. Quem divide quem? É preciso ter lata!!!

(-) - Cavaco Silva por considerar a opção de Carlos César como provavelmente inconstitucional. Acredito que o "lapso" verificou-se por motivos eleitorais. Se achasse a medida imoral teria sinal (+). Mas, inconstitucional ou imoral, esse dinheiro vais sair da algibeira dos todos os portugueses;

(-) - Francisco Louçã por se colar a Carlos César. O apoio a Manuel Alegre a isso o obriga. É que recordo o voto do BE, na Assembleia da República, contra as medidas de excepção das empresas públicas do Estado. Qual a diferença entre uma medida e outra?

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Pura coincidência...

1 - A bancada do PS decidiu hoje votar contra a proposta do PCP que visa tributar em 2010 a distribuição de dividendos, disse aos jornalistas um deputado do PS à saída da reunião do grupo parlamentar.
Na reunião da bancada parlamentar, hoje ao final da manhã, o líder parlamentar do PS, Francisco Assis, ameaçou que se demitiria da liderança do grupo parlamentar socialista caso a maioria dos deputados decidisse votar a favor do diploma do PCP, que é hoje à tarde discutido em plenário.

2 - O Conselho de Administração da Portugal Telecom reuniu-se esta manhã e, em reunião extraordinária, aprovou o acordo com o Estado para a transferência dos fundos de pensões da empresa para o Estado.
Depois de decidir aspectos técnicos que moldariam esses valores (taxas de desconto, actuariais, esperança média de vida), ficou "fechado" um valor de 2.804 milhões de euros que passarão da PT para o Estado. Esta injecção melhora as contas nacionais deste ano em cerca de 1,6% do PIB, contribuindo de forma decisiva para cumprir a meta do défice de 7,3%, que era o compromisso do Governo.

Infelizmente são sempre os mesmos a pagar a crise...E, obviamente, o PSD votará igualmente contra a proposta do PC.

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

"Haiti" - Caetano Veloso - vejam, ouçam, leiam e...comentem!!!

video

Haiti
(Caetano Veloso)

Quando você for convidado pra subir no adro da
Fundação Casa de Jorge Amado
Pra ver do alto a fila de soldados, quase todos pretos
Dando porrada na nuca de malandros pretos
De ladrões mulatos
E outros quase brancos
Tratados como pretos
Só pra mostrar aos outros quase pretos
(E são quase todos pretos)
E aos quase brancos pobres como pretos
Como é que pretos, pobres e mulatos
E quase brancos quase pretos de tão pobres são tratados
E não importa se olhos do mundo inteiro possam
estar por um momento voltados para o largo
Onde os escravos eram castigados
E hoje um batuque, um batuque com a pureza de
meninos uniformizados
De escola secundária em dia de parada
E a grandeza épica de um povo em formação
Nos atrai, nos deslumbra e estimula
Não importa nada
Nem o traço do sobrado, nem a lente do Fantástico
Nem o disco de Paul Simon
Ninguém
Ninguém é cidadão
Se você for ver a festa do Pelô
E se você não for
Pense no Haiti
Reze pelo Haiti
O Haiti é aqui
O Haiti não é aqui
E na TV se você vir um deputado em pânico
Mal dissimulado
Diante de qualquer, mas qualquer mesmo
Qualquer qualquer
Plano de educação
Que pareça fácil
Que pareça fácil e rápido
E vá representar uma ameaça de democratização
do ensino de primeiro grau
E se esse mesmo deputado defender a adoção da pena capital
E o venerável cardeal disser que vê tanto espírito no feto
E nenhum no marginal
E se, ao furar o sinal, o velho sinal vermelho habitual
Notar um homem mijando na esquina da rua
sobre um saco brilhante de lixo do Leblon
E quando ouvir o silêncio sorridente de São Paulo diante da chacina
111 presos indefesos
Mas presos são quase todos pretos
Ou quase pretos
Ou quase brancos quase pretos de tão pobres
E pobres são como podres
E todos sabem como se tratam os pretos
E quando você for dar uma volta no Caribe
E quando for trepar sem camisinha
E apresentar sua participação inteligente no bloqueio a Cuba
Pense no Haiti
Reze pelo Haiti
O Haiti é aqui
O Haiti não é aqui